Secretaria Municipal de Saúde

IRACEMÁPOLIS - SP

  
  
Secretaria Municipal de Saúde ' Vereador Alberto Liberato Lucas '
Sede da saúde municipal
Pronto Socorro Municipal (Urgência e Emergência)
Unidade Mista "Santa Cruz"
USF ' Dr. Ângelo Arlindo Lobo '
Unidade Básica de Saúde/Unidade de Saúde da Família
USF ' Maria Neves Alexandrino '
Unidade Básica de Saúde/Unidade de Saúde da Família
USF ' Angelina Platinetti Massari '
Unidade Básica de Saúde/Unidade de Saúde da Família
CESMI - Centro de Especialidades Médicas de Iracemápolis
Especialidades médicas
Unidade Municipal de Fisioterapia ' Geraldo Granço '
Unidade de tratamento Fisioterapêutico
Canil Municipal ' Francisco de Assis '
Canil municipal (Zoonose)
×

Aviso

Erro ao carregar componente: com_zhgooglemap, Componente não encontrado

Elisandra Rizzo - Psicóloga

Depressão

Pin It

DepressãoMuitas vezes as pessoas confundem depressão com tristeza. Todos nós temos dias e momentos em nossa vida que são mais difíceis e que às vezes temos dificuldades em lidar com eles, mas é absolutamente normal que esses dias ocorram e que nos sintamos assim algumas vezes. Porém na depressão a pessoa não está só triste o que ocorre é um predomínio anormal de tristeza.

É por essa razão, que para se fazer um diagnóstico de depressão, precisamos de um profissional capacitado para afirmarmos que o paciente está deprimido. Para que a pessoa tenha esse diagnóstico ela precisa sentir-se triste a maior parte do dia quase todos os dias e esse quadro deve durar pelo menos algumas semanas, sem melhora alguma.

Um dos principais sintomas da depressão é a apatia, onde a pessoa se sente sem energia, sem vontade e não tem força, nem interesse em fazer coisas que antes gostava e fazia. Começa a apresentar também dificuldade de concentração, alterações do sono, perda de apetite e por consequência de peso. Outras pessoas porém, reagem de maneira diferente e passam a comer demais, principalmente doces e podem engordar.

Sonolência em excesso também é um sintoma da depressão, a pessoa só quer ficar deitado ou dormindo e as coisas “perdem a graça”. Com a lentificação das atividades físicas e mentais, tudo fica mais difícil, tomar banho cansa, fazer comida cansa, pensar e resolver problemas se tornam funções extremamente desgastantes e a pessoa acredita que não dará conta de fazer o que antes fazia.

A pessoa também pode apresentar pessimismo em excesso, chorar por pequenas coisas ou sem motivo algum, ter dificuldade em terminar o que começou, porque uma simples tarefa pode se tornar muito cansativa.

Sentimento de pesar ou fracasso, também aparecem e com eles a persistência de pensamentos negativos. Queixa-se frequentemente, porque nada está bom e muitas vezes sentimentos de culpa injustificáveis começam a se tornar constantes. Nos casos mais graves a pessoa pode até mesmo chegar a achar que não vale mais a pena viver.

Trabalhar, se dedicar a uma outra pessoa, cuidar da casa, dos filhos, entre outros afazeres podem se tornar obrigações penosas ou até mesmo impraticáveis, dependendo da gravidade dos sintomas. Dessa forma, o relacionamento com outras pessoas acaba se prejudicando cada vez mais. As dificuldades conjugais pioram, inclusive com a diminuição do desejo sexual. O desinteresse pelos amigos e pelo convívio social faz com que a pessoa passe a se isolar em casa, dificultando inclusive a busca por ajuda médica.

A causa exata da depressão permanece desconhecida, pois ela pode ter vários fatores. A explicação mais provavelmente correta é de que ocorre um desequilíbrio bioquímico dos neurônios responsáveis pelo controle do estado de humor. Esta afirmação se baseia pela eficácia comprovada dos antidepressivos. A genética também tem uma parte importante nesse processo. Familiares de depressivos tem maiores chances de desenvolver a doença.

Texto elaborado por Elisandra Rizzo – Psicóloga da saúde.

* Se você apresenta vários desses sintomas é importante que você procure ajuda de um profissional de saúde.

 

Elisandra Rizzo

 

Elisandra Rizzo

Psicóloga